a democratização não tóxica dos games.

COMPARTILHA COM A GALERA 🙂

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

ao me aprofundar mais na pauta games, percebi alguns comportamentos e padrões muito parecidos com os que existem no mundo da tecnologia. uma coisa que me chamou muito atenção foi o senso de comunidade. principalmente a forma de como estas se formam é muito parecida.

o ‘movimento’ –– combustível de uma comunidade, em outros mercados/segmentos é uma forma de expressão criada a partir de paixões, intenções ou até mesmo propósito. já em tecnologia e games, geralmente, o vínculo inicial entre pessoas é feito através de assuntos. 

no caso de games, são jogos e/ou estilos ou tipos de jogos. somente depois desse primeiro contato, outros subgrupos ou subculturas são desenvolvidas. em muitos casos o que veio depois acaba virando a cultura principal de novos grupos.

a organização encontrada em games é muito interessante, pois, a pessoa gamer é aceita num grupo independente de suas características sociais, físicas, de opção de sexual. ou seja, não importa quem você é, se faz sentido para você estar ali, é só chegar. a barreira inicial de entrada, é relativamente baixa quando olhamos por essa perspectiva. 

por outro lado, existe uma questão crucial, que é a performance dentro do jogo. o ambiente pode se tornar tóxico caso a pessoa não seja boa, tome decisões erradas ou não consiga jogar em equipe.

ao mesmo tempo que esse espaço democrático que existe nos jogos, é um dos elementos mais incríveis desse universo, no contexto que trouxe, pode ser um fator desmotivador. 

sempre tentei trabalhar em prol da democratização –– de tecnologia, de educação e agora de esports. 

logo, a possibilidade de incluir cada vez mais gente no universo gamer, e principalmente, aumentar o espectro das pessoas que se remuneram de alguma forma com jogos eletrônicos, é uma das motivações que estão me fazendo entrar de cabeça no mundo dos esports.

um dos papéis da rede twig|games, é manter uma malha de pessoas interagindo –– independente do nível, sempre mantendo o respeito, o foco no aprendizado, a camaradagem e a diversão.

para equalizar as emoções dessa galera, o guilherme ebert (famoso guilão) é o responsável por fazer mentorias com quem é membro da rede. psicólogo de formação, atualmente trabalha com foco em crianças e adolescentes, apaixonado por games e um dos entusiastas da twig.

suas mentorias serão gratuitas e com dois focos:

  1. técnica: se membrxs da rede quiserem falar sobre suas skills no jogo, como e o que podem melhorar, além de outras dicas sobre os jogos.
  2. psicológica: um lugar seguro para quem tiver com outras dificuldades e não tiver hábito ou condições de procurar um profissional da saúde, o gui se propõe a ajudar com seu trabalho.

é claro que ambas mentorias tem limites de pessoas, tem filas e uma organização prévia.

ao conectar esse ambiente seguro com o nosso movimento –– ‘somos uma rede que potencializa gamers’, percebo que estamos indo para um caminho saudável. prover suporte para gamers, independente do nível, é a nossa prioridade.

para nós, tudo isso só faz sentido se o espaço que estamos criando seja transparente, seguro e benéfico para quem está conectado a esse grande universo.

se você não conhece a twigigames, acesse o site clicando aqui.

em breve mais posts sobre a twig e games.

até mais 🙂








 

EI, TÁ ROLANDO FRETE GRÁTIS DURANTE O MÊS DE MAIO 😎

pra 1 ou 2 produtos no carrinho (vale pra carteiras, porta-cartões, porta-passaportes e cachepôs) durante o mês de maio inteiro⏱

TÔ TE VENDO SAIR 👀

TÔ DE OLHO EM VC 👀

pode parar por aí, ainda tenho tanto pra te falar. deixa seu e-mail aqui pra eu te mandar umas novidades e descontinhos marotos de vez em quando: